TOPO #01 - BIOCOR
TOP PEQUENO #02 - VIVER BRASIL
Página inicial - Blog do PCO Paulo César Oliveira

Porque só o Executivo?


Por: Paulo César de Oliveira

Num regime presidencialista tem destas coisas. Até aqui se tem falado muito, xingado demais, culpado ainda mais, a presidente Dilma pelos sucessivos escândalos de corrupção. Ela tem aparecido, na boca do povo e na imprensa, como a única culpada. Tudo é motivo para criticá-la e ao governo ou, o Executivo. Não são de graça estas críticas. Razões para elas existirem sobram e surgem a cada dia. Mas a questão é: mas e os outros Poderes? E os órgãos de fiscalização, o Ministério Público, não precisam ser cobrados também? São todos ou coniventes ou omissos em relação a corrupção. Tomem, por exemplo, o Legislativo. Fiscalizar não é apenas uma de suas prerrogativas. É, certamente, seu principal dever, muito embora até mesmo a imprensa erre ao cobrar dos parlamentares apenas presença em plenário e votação de projetos. Dispensados de fiscalizar, eles não fiscalizam. E até costumam fazer deste dever/prerrogativa,  um canal de pressão sobre o governo para conquistar favores ou vantagens. Ou tem outra explicação para o fato de parlamentares assinarem pedidos de constituição de CPI’s, como as recentes para apurar irregularidades nos fundos de pensão e no BNDES e, sem ter porquê retirarem o apoio. Se não tem nada a ser apurado, porque assinaram? Se tem, porque retiraram a assinatura? E a demora em fiscalizar e agir do TCU, também não colabora com a corrupção? E os anos sem fim para o Judiciário julgar casos de corrupção, de descalabros administrativos, por acaso não colabora com a corrupção, pelo estímulo da impunidade? E o Ministério Público que, na maioria das vezes, age estimulado pelas denúncias da imprensa, sua única fonte de informação? Se formos à raiz, chegou à Justiça Eleitoral que, com sua morosidade de tartaruga de bengala, permite que exerçam mandatos pessoas que, flagrantemente cometeram irregularidades eleitorais. Quando chegam a julgar o mandato já passou da metade. E na ponta final, o eleitor, sempre ele, que se deixa corromper por benefícios diretos ou falsas promessas. Pense bem, com certeza você tem culpa também.

Publicidade

Your Ad Here

Comentários

comentários

Newsletter

Tags