Logo
Blog do PCO

A economia sem artificialismos

O segundo dia da live “Economia, e agora”? promovida pela VB Comunicação começou com um debate entre o presidente da VB, Paulo Cesar Oliveira, o diretor da VB, Gustavo Cesar Oliveira, a educadora financeira, Carol Dias e o investidor anjo, João Kepler. Eles debateram sobre a importância do conhecimento nessa área e a necessidade que as pessoas estão tendo de conhecer mais sobre finanças, principalmente devido a pandemia da Covid-19, que impôs dificuldades a muitas famílias e gerou problemas financeiros à maioria das empresas, por falta de uma reserva para ajudar em um momento com esse. Logo após, a economista Zeina Latif explicou como funciona o mercado de ações e as oportunidades pós pandemia. Para ela, 2020 tem sido um desafio, com a economia sendo mantida com artificialismo, com medidas importantes e adequadas para o momento, como a liberação do auxílio emergencial, mas que terão que ser revistas pelo governo. Da mesma forma, ela entende que a taxa Selic em 2% não deve se sustentar e o governo deve reajustá-la, mesmo que pouco, mas pode chegar até 5%. O dólar vai continuar com a volatilidade alta, mas a economista entende que o aumento do câmbio foi além do que era esperado para a nossa moeda e está descolado do cenário internacional. Para ela o dólar deveria estar em torno de R$ 4,50, se não tivéssemos tanta insegurança com o que vem a seguir. Zeina Latif (foto) lembra que o país tem algumas batalhas pela frente, como as dúvidas em relação à saúde e sobre a vacinação em massa. É preciso estar atento também a algumas pautas no Congresso Nacional, e a sociedade precisa cobrar as mudanças. Uma curiosidade durante esse período, segundo Zeina, é em relação ao aumento de CPFs na Bolsa de Valores. Houve um crescimento de 87% em relação a 2019. São mais de três milhões de pessoas investindo na Bolsa de Valores. Chama a atenção também o aumento da participação de mulheres, que normalmente são mais conservadoras e de jovens, que também estão se interessando pelo mercado de capitais e ainda das pessoas acima de 56 anos. A pandemia trouxe grandes aprendizados para a economia. “Vimos mudanças de costume e padrões de consumo impactando nos negócios e nos investimentos. Tivemos algumas surpresas positivas, mas temos incertezas pela frente em relação a mudanças no padrão de consumo das pessoas, com as questões sociais e ambientais impactando sobre o mercado e  nas questões de investimentos”. São questões, segundo Zeina, que vieram para ficar. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *