Logo
Blog do PCO

Sócios fecham acordo na Usiminas acabando com a disputa pelo comando

A Ternium e Nippon Steel fecharam acordo para encerrar disputas em torno da gestão da Usiminas, através de um novo modelo de governança que prevê alternância na presidência e a adoção de mecanismo de saída que permite, em caso de novas desavenças, um comprar a participação do outro na empresa. A Ternium, que divide o controle da Usiminas com a japonesa Nippon Steel, informou, em comunicado, que as novas regras permitem alternância de presidente-executivo e de presidente do conselho de administração a cada quatro anos entre os dois grupos. A alternância começa com a Ternium indicando o presidente-executivo, atual ocupante do cargo, Sergio Leite (foto), enquanto a Nippon Steel nomeia para a presidência do conselho o executivo Ruy Hirschheimer, ex-presidente da Electrolux na América Latina entre 1998 a 2016. As indicações vão ser feitas na eleição para diretoria da Usiminas, marcada para maio. Os sócios acordaram ainda um mecanismo em que um poderá comprar a maioria ou até toda a participação do outro na siderúrgica, quatro anos e meio após a eleição, em maio, da diretoria da Usiminas, caso ocorra novo desentendimento entre os grupos. O acerto coloca ponto final na disputa entre Ternium e Nippon Steel, que desde 2014 vinham travando batalhas sobre quem deveria administrar a empresa, gerando vários processos judiciais. As empresas, porém, não detalharam o mecanismo de saída, informando apenas que o recurso poderá ser iniciado por qualquer uma das partes “com ou sem causa, a qualquer momento e após período de negociação de seis meses qualquer das partes poderá comprar um determinado número de ações ordinárias detidas pela outra parte consolidando o controle”. As empresas também afirmaram que em caso de venda, o vendedor poderá optar por manter cerca de 10% das ações ordinárias da Usiminas. Dentro do acordo anunciado nessa quinta-feira, Ternium e Nippon definiram que nenhum dos dois grupos, e suas subsidiárias, poderá comprar ações ordinárias da Usiminas sem a permissão do outro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *