Logo
Blog do PCO

Mineração cresce com melhora da economia mundial

Os últimos dados da mineração no país mostram que o setor voltou com carga total, impulsionado principalmente pelo crescimento da China, que no primeiro trimestre foi de 18%. O presidente do Conselho do Ibram (Instituto Brasileiro de Mineração), Wilson Brumer (foto), diz que o resultado é baseado em um trimestre fraco, lembrando que a China foi fortemente afetada nesse período do ano passado. Mas os Estados Unidos também têm boas perspectivas, a Europa deve ter um crescimento em torno de 4,5% e o Brasil também deve ter um crescimento. Esse crescimento mexe com praticamente toda cadeia mineral. O minério de ferro respondeu por 70% do total faturado, o ouro por 11%, o cobre por 5% e a bauxita por 2%. Mas Minas Gerais continua sendo impactada pelo rompimento das barragens em Mariana e Brumadinho, mas tem despertado interesse por metais usados em componentes eletrônicos. A produção de minério do Para, no entanto, continua forte.

 Pará superou Minas na mineração?

O Pará vem superando Minas em termos de faturamento há algum tempo, porque algumas minas aqui estavam paradas, a Samarco estava parada. Minas está retomando aos poucos sua participação. Em Carajás está crescendo a produção de minério, o que significa que Minas não irá produzir. A Anglo está crescendo, a própria Samarco está voltando a funcionar. Não estou pessimista em relação a Minas. Minas Gerais respondeu por 40 % do faturamento. No primeiro trimestre do ano passado foram R$ 12,9 bilhões e nesse ano foi R$ 28,1, mas o Pará continua na frente com R$ 31,2 bilhões neste ano, com 44% do faturamento do setor. Minas Gerais é um estado mais antigo em relação a produção mineral e o Pará é um estado que está chegando agora e tem alguns produtos que não são conhecidos ainda. O território paraense é menos conhecido em termos de atividade mineral do que Minas é. Para se ter uma ideia, em termos de investimentos previstos para os próximos anos, nós teremos investimentos de US$ 38 bilhões até 2025.O Pará está com R$ 9 bilhões, Bahia R$ 11 bilhões e Minas Gerais com R$ 13 bilhões e outros estados R$ 6 bilhões. Minas Gerais está investindo mais do que o Pará. Pará e Minas Gerais continuarão a ser os dois principais produtores minerais do país.

Minas Gerais tem outros minerais que estão despertando interesse?

Por isso tenho insistido muito na pesquisa geológica. Está crescendo no estado a produção de lítio, que é muito utilizado em baterias elétricas. Minas tem as terras raras usadas nas novas tecnologias. Nós temos R$ 13 bilhões em investimentos e em áreas importantes em fertilizantes. O Brasil hoje exporta fertilizantes.

A pandemia não afetou a produção?

O que aconteceu no primeiro trimestre, em comparação ao ano passado, a China, que é o grande comprador de minerais do Brasil, não só minério de ferro, foi o país mais afetado. Já no primeiro trimestre deste ano o PIB da China cresceu 18%, mas em cima de uma base muito baixa. Nos três primeiros meses deste ano, a produção de aço e o consumo de minério cresceram muito e o investimento subiu enormemente. Com isso, o faturamento do setor no primeiro trimestre, comprado ao ano passado, cresceu 95%. Quais são os principais fatos: o aumento do preço do minério, de minerais de maneira geral; o crescimento da China e a desvalorização do real. Com a exportação em dólar, tem-se um faturamento muito maior para os principais minerais.

A economia mundial também deve sofrer uma forte alteração após a vacinação contra a Covid-19?

Os Estados Unidos, com o pacote lançado pelo Joe Biden, que inclui um forte investimento em infraestrutura, terá um forte impacto na economia mundial. Existe, também, uma expectativa em relação ao crescimento da economia da China, que pode crescer 9% neste ano. No primeiro trimestre o país cresceu 18%, mas comparado a um trimestre fraco do ano passado. A Europa deve crescer em torno de 4,5%, mas ainda não compensa o que perdeu no ano passado. O conjunto dos países europeus caiu mais de 6% no ano passado. O Brasil também deve crescer um pouquinho e com isso, a demanda por minerais deve continuar muito forte.

O Brasil ao não avançar muito com a economia, prejudica o mercado aqui?

O grande problema do Brasil é que enquanto não forem feitas as reformas estruturais, nós vamos ficar nesse chove não molha, porque o Brasil é hoje, mesmo com a desvalorização da moeda, um país muito caro em termos de investimento e de competitividade. Em todos os indicadores do mundo, o Brasil fica lá atrás. Nós precisamos fazer as reformas estruturais para sermos competitivos. Costumo usar uma frase que não sei de quem é, de que “não existe empresa competitiva, em país que não é competitivo”.

Pelo andar da carruagem o Congresso está interessado em votar as matérias que precisam para alavancar o país, ou vai focar na CPI da Covid?

 A CPI vai ficar concentrada no Senado. Estou otimista de que os dois novos presidentes da Câmara e do Senado irão partir para a votação das reformas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *