Logo
Blog do PCO

D. Marina ganha homenagem em MOC

A Prefeitura de Montes Claros, através do programa Jardim para Borboletas, vinculado ao projeto Para Além das Prisões (uma parceria da Prefeitura com o Ministério Público – MP),e por inspiração do secretário do meio ambiente Paulo Ribeiro( que vem a ser afilhado de batismo da homenageada) irá homenagear nesta terça-feira a educadora Marina Helena Lorenzo Fernândez Silva com uma escultura de borboleta, que será afixada na praça da Igreja Rosa Mística, no bairro São Luiz, e cercada por um jardim. O Jardim para Borboletas tem a finalidade de homenagear mulheres que são ou que foram influentes na nossa sociedade através da criação de esculturas de borboletas feitas de aço e sucata pelo artista Gu Ferreira (com o apoio de reeducandos do sistema penitenciário) e de jardins, que são cuidados por pessoas em situação de rua. A proposta do programa é homenagear 13 mulheres ainda este ano, destacando aquelas que possuem uma trajetória de vida de envolvimento com questões sociais, culturais, ambientais e educacionais. Até agora, já foram homenageadas a promotora Ana Heloísa Marcondes Silveira (Praça da Rodoviária), a enfermeira Antônia Colares, a popular “Tonha da Santa Casa” (avenida Deputado Esteves Rodrigues), e a doméstica Maria da Conceição Silva, a “Maria de Custodinha” (Trevo da Sion). Além de dona Marina Fernândez e da Irmã Veerle, outras 8 mulheres já foram escolhidas pela comissão de parceiros que coordena o projeto: Yvonne Silveira, Josefina Mendonça, Heloísa Sarmento, Dona Tirburtina, Zezé Colares, Yara Tupynambá, Dra. Príscila e Iara Souto. A Prof. Dona Marina Helena Lorenzo Fernândez Silva é fundadora do Conservatório Estadual de Música Lorenzo Fernândez e da Faculdade de Educação Artística (FACEART) – atual Departamento de Artes da UNIMONTES. À frente do Conservatório, com pulso forte e com ajuda das fundadoras, Dona Marina realizou trabalhos maravilhosos e de grande valor para cidade, incentivando a inovação e a motivação através da arte. Mulher dinâmica, à frente do seu tempo, vê perspectivas de mudanças no ser humano através das realizações artísticas. Após contribuir com o enriquecimento artístico-cultural da cidade e região, aposentou-se em 1987, indo fixar residência no Rio de Janeiro, para assim tomar conta do Conservatório Brasileiro de Música, fundado pelo seu pai, mas sem esquecer os laços artísticos e familiares com Montes Claros. Dizem que em MOC a cultura é antes e depois de d. Marina.

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *