Logo
Blog do PCO

Fartura – Comidas do Brasil I

Desde 2012, a plataforma Fartura – Comidas do Brasil – à frente o empresário Rodrigo Ferraz- percorre todo o país pesquisando a origem dos ingredientes e seu caminho até a mesa com a expedição Fartura, que já visitou os 26 estados brasileiros e Distrito Federal. Todo o conhecimento adquirido é transformado em conteúdo e disponibilizado no site e redes sociais (Facebook e Instagram), vídeos, livros, programas de rádio e em projetos customizados. Sempre com o tema “Comidas do Brasil – da origem ao prato”, os Festivais Fartura – Comidas do Brasil agora acontecem em todas as regiões do país – do Sul ao Norte – com o lançamento do calendário 2018 em Porto Alegre, nos dias 05 e 06 de maio. Segue para Brasília (junho); São Paulo (agosto); Tiradentes (agosto), Belo Horizonte – nas versões tradicional e Kids (setembro); Fortaleza (novembro) e Belém (janeiro/19). A plataforma também expandiu suas fronteiras e foi atrás de suas origens, em Portugal. Em outubro, acontece a segunda edição do Festival Fartura – Comidas do Brasil Lisboa.

 

Fartura – Comidas do Brasil II

O trabalho realizado pela Fartura – Comidas do Brasil tem como objetivos mostrar ao público o valor cultural da gastronomia: por meio de suas histórias e personagens, ingredientes, parte da memória afetiva do brasileiro, que faz da sua culinária um patrimônio. Além da questão econômica da gastronomia, que envolve os setores da agricultura, pecuária, pesca, uma parte da indústria e do comércio e conecta os produtores do campo até o consumidor final, seja ele um restaurante ou consumidor doméstico. Em 2016, a indústria da alimentação faturou 614,3 bilhões de reais e recebeu um investimento de mais de 20 bilhões. Gerou 1,6 milhões de empregos diretos. Para o diretor da Plataforma Fartura – Comidas do Brasil, Rodrigo Ferraz (foto), o prato é o ponto final dessa cadeia e o consumidor – seja um restaurante ou o consumo doméstico – precisa entender o que está por trás de uma refeição. Só assim vamos dar mais importância ao que comemos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *