Logo
Blog do PCO

Ministro Herman Benjamin rouba cena no julgamento da chapa Dilma/Temer

O julgamento da chapa Dilma/Temer já tem seu grande personagem, além dos protagonistas naturais, a ex-presidente Dilma e o presidente Michel Temer. O ministro Herman Benjamin (foto), que é o relator do processo, tem chamado a atenção não só pelo relatório, como pelas suas frases espirituosas e sempre dentro do contexto do processo, como quando contestou a defesa de Dilma, que reclamou não ter tido acesso as denúncias dos executivos da Odebrecht. A resposta que não pode ser contestada foi a de que “Só índios isolados da Amazônia não souberam da delação da Odebrecht”.

 

Enfrentando Gilmar Mendes

Com o polêmico presidente do TSE, ministro Gilmar Mendes, Herman Benjamin deu um espetáculo à parte. Ao ser contestado por Gilmar Mendes, que considerou falacioso o argumento para manter o processo aberto, Benjamin respondeu dizendo que o argumento que usava, na realidade, é o mesmo usado por Gilmar, quando se evitou o arquivamento do processo. E novamente se estranharam quando Mendes afirmou que “essa ação só existe graças ao meu empenho, modéstia às favas. Vossa Excelência hoje é relator e está brilhando na televisão do Brasil todo” e ouviu de Benjamin um “eu prefiro o anonimato”.

 

Adão e Eva

O ministro Herman Benjamin já havia mostrado a que veio em abril, quando contestou os argumentos da defesa da ex-presidente Dilma, de que seria necessário ouvir mais testemunhas, entendido por ele como uma tentativa de protelar o julgamento. O argumento usado por ele, mais uma vez foi difícil de ser contestado: “não podemos transformar esse processo num universo sem fim. Não podemos ouvir Adão e Eva para que se intimem a serpente”. Esse, com certeza, não será um julgamento monótono. Hoje ele terá mais capítulos. Já se admite que ele só terminará no sábado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *