Logo
Blog do PCO

Pelo sim, pelo não

A assinatura da ficha de filiação de Rodrigo Pacheco (foto) ao DEM cumpriu o rito preparado pelo partido, que lotou o auditório do Hotel Mercure. Deputados estaduais, federais, prefeitos, vereadores, lideranças políticas e a claque. Tudo dentro do cronograma, mas alguns sinais indicavam que alguma coisa estava fora da ordem. O primeiro sinal partiu do presidente do PEN/Patriotas, Chicão, que laconicamente disse que Rodrigo Pacheco é a principal tendência do partido, o que significa que não tem nenhum acerto em torno do seu nome. Depois foi o presidente do PSDB em Minas, Domingos Sávio, que falou do papel decisivo do DEM no governo FHC, com a presença de Marco Maciel e em Minas Gerais, uma união acima das legendas. Mas foi o próprio Rodrigo Pacheco que surpreendeu ao pedir ao líder do DEM na Câmara, Rodrigo Garcia (SP), para continuar à frente da Comissão de Constituição e Justiça, porque seu mandato à frente da comissão termina nos próximos dias. Pelo sim, pelo não do eleitor, Pacheco quer se garantir na Câmara.

 

Momento de calma e de negociações

O senador Antonio Anastasia orientou o presidente regional do PSDB, deputado Domingos Sávio, a prestigiar a filiação de Rodrigo Pacheco ao DEM e do lançamento da sua pré-candidatura ao governo de Minas. A hora, segundo ele, é a de manter o grupo unido, não dispersar e foi esse o recado passado pelo parlamentar no evento dos Democratas. A hora, segundo ele, é de reconstruir Minas e para isso é preciso que a oposição esteja unida. Domingos Sávio também falou do orgulho de estar ao lado de Rodrigo Pacheco na Câmara Federal. Mesmo com o afago, Pacheco ignorou o tucano na hora do seu discurso, apesar de ter citado os outros representantes de partidos presentes à sua filiação. Para Domingos Sávio, é preciso ter calma neste momento, porque as decisões serão tomadas, primeiro em nível nacional. O afunilamento das candidaturas se dará nos próximos dias, com as negociações para composição das chapas e quando for realizado o cálculo das chances de cada um no processo. Domingos Sávio disse que a decisão do senador Antonio Anastasia teve um efeito acima do esperado e as manifestações de apoio ao seu nome vêm de todos os lados.

 

Rodrigo Pacheco diz que política o tornou uma pessoa mais humana

Nos três anos em que está na política, Rodrigo Pacheco disse que teve uma vitória, que foi a sua eleição à Câmara Federal e uma derrota, neste caso, na disputa pela prefeitura de Belo Horizonte, mas a sua disposição para a atividade está cada vez maior. A política, segundo o parlamentar, mudou a sua vida, transformando-o em uma pessoa mais humana. A sua candidatura ao governo de Minas, que foi estimulada, inclusive pelo senador Antonio Anastasia, agora pré-candidato do PSDB, será mantida segundo Pacheco, mas mantém o canal de negociação aberto com o PSDB. “Mantenho meu conceito em relação ao senador, que é o melhor possível, de homem decente, de qualidade, foi um excelente governador e reconheço isso, mas eu tenho o direito de dar a Minas uma oportunidade de uma alternativa. E é por isso que coloquei meu nome para o governo do estado”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *